0
0
0
s2smodern

A Diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência do Serviço Público Federal no Estado de Santa Catarina (Sindprevs/SC) vem a público manifestar intensa consternação pelo assassinato da ativista de direitos humanos e vereadora do PSOL do Rio de Janeiro, Marielle Franco, alvejada por cinco tiros enquanto voltava de uma atividade de mulheres na noite do dia 14 de março. No atentado, o motorista do carro onde a parlamentar estava, Anderson Pedro Gomes, também foi assassinado.

Quinta candidata mais votada nas últimas eleições municipais do Rio de Janeiro, Marielle era uma jovem mulher negra, filha da classe trabalhadora brasileira, oriunda do Complexo da Maré. Militante do movimento feminista e popular do Rio de Janeiro, a vereadora esteve na linha de frente no enfrentamento à intervenção militar na cidade.

Há duas semanas, Marielle assumiu a função de relatora da Comissão da Câmara de Vereadores do Rio criada para acompanhar a intervenção federal no município. Na semana passada, ela se posicionou em redes sociais afirmando que era preciso que todos soubessem o que acontece no Rio. “O 41° Batalhão da Polícia Militar do Rio de Janeiro está aterrorizando e violentando moradores de Acari. Nessa semana dois jovens foram mortos e jogados em um valão. Hoje a polícia andou pelas ruas ameaçando os moradores. Acontece desde sempre e com a intervenção ficou ainda pior”.

Exigimos imediata apuração do crime e o fim da intervenção militar no Rio de Janeiro!

Marielle Franco, presente!

15 de março de 2018.