Neste dia 3 de junho a Administração do INSS efetivou o envio as cartas de cobrança da URP para os servidores.

O Sindicato, conforme já explicado aos servidores na Assembleia do dia 28 de maio sobre a URP realizada em Florianópolis, já traçou a linha de defesa que adotará e os procedimentos que os servidores atingidos pela URP devem tomar nesse primeiro momento.

A Assembleia encaminhou, de forma unânime, que o Sindicato acompanhe o processo, tomando as medidas necessárias para a defesa dos trabalhadores. E assim está sendo feito.

Estamos providenciando com a máxima urgência o documento de defesa e em breve divulgaremos também no site do Sindicato. Até o final da tarde desta terça-feira, dia 4 de junho, os documentos estarão postados no site do Sindicato em Últimas Notícias e no link do Jurídico (menu esquerdo do site).

Queremos aqui salientar a “SUPER eficiência” da Administração e da Procuradoria do INSS em enviar as cartas cobrando os servidores.

O que nós questionamos é por que a Administração e Procuradoria do INSS não tem a mesma “SUPER eficiência” para efetuar o pagamento do que é devido aos servidores como os exercícios anteriores e o PCCS. Questionamos ainda o porquê a Administração do INSS não tem a mesma “SUPER eficiência” em cobrar da sua Procuradoria o fim dos embargos protelatórios que impedem o pagamento do PCCS.

O Sindprevs/SC vem a público cobrar da Administração do INSS uma ação contra o Procurador que não sessou na época devida (2002), conforme entendimento da Administração, o pagamento da incorporação da URP no contracheque.

Diante de um processo de diálogo que estava ocorrendo entre o INSS e o Sindicato nos últimos tempos em relação à URP esperávamos uma atitude diferente da Administração. As cartas foram enviadas mesmo com as muitas dúvidas levantadas pelo Sindicato em relação à cobrança dos valores e às taxas de juros.

Reforçamos que nenhuma providência seja tomada sem a orientação do Sindicato e que estamos atentos a todos os prazos do processo.

Direção do Sindprevs/SC