0
0
0
s2smodern

 

Os membros do Devisa participaram em conjunto com a direção da Fenasps das atividades do Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência Pública e contra as reformas do Governo Temer, realizadas dia 19 de fevereiro em Brasília.

 

Pela manhã, participaram do Ato Coletivo do Fórum de Entidades dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe), no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitcheck. Os parlamentares que chegavam à Capital Federal eram recepcionados pelos trabalhadores cantando palavras de ordem, expondo suas faixas e distribuindo panfletos com mensagens e dados explicitando porque são contrários à Reforma da Previdência (PEC 287/16).

 

Os servidores participaram, no período da tarde, da Audiência Pública da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Previdência Pública, no Auditório Petrônio Portela, no Senado Federal, com a presença de representantes de outros países da América Latina, que relataram as consequências após a aprovação de projetos de reforma semelhantes ao que querem aprovar no Brasil, como recentemente ocorreu na Argentina. Dirigentes das centrais sindicais e entidades que compõem a Frente em Defesa da Previdência Pública também expuseram dados e argumentos.

 

Ainda a tarde, no Ato de Lançamento da Campanha Salarial Unificada de 2018 dos Servidores Públicos Federais, os servidores e dirigentes sindicais de diversas entidades concentraram-se e realizaram passeata do MPOG até o Congresso Nacional.

 

 

Falta infraestrutura e servidores

 

No dia 20 de fevereiro, os membros do Devisa/Fenasps estiveram na sede central da Anvisa, dialogando com a Gerente Administrativa e de Infraestrutura da área de PAFs (Portos, aeroportos, fronteiras e recintos alfandegados), Isabella P. Valderrama. Na pauta, novamente, questões que afligem os servidores, como o estudo desenvolvido por uma empresa de consultoria externa (ELO), a remodelação da área de Portos, Aeroportos Fronteiras e a problemática de falta de equipamentos funcionais e atualizados, tais como computadores, impressoras, sistemas, redes, suporte logístico e de apoio técnico, etc.

 

Membros do Devisa/Fenasps também reuniram-se com o Gerente da GIMTV-Viajantes, Rodolfo Navarro Nunes, reiterando as dificuldades no atendimento aos viajantes, sobretudo pelo aumento de demanda nos postos em virtude do surto de febre amarela no Brasil. O Devisa demonstrou que, na prática, as ações e iniciativas do nível central não resultaram em alívio ou redução das situações desfavoráveis na prestação de serviços à população. A falta de infraestrutura e quantitativo insuficiente de trabalhadores geram insatisfação tanto dos servidores da Agência, quanto da população usuária do sistema e dos serviços da Anvisa.

 

A Gerência informou estar ciente e tomando medidas para minimizar os problemas com o desenvolvimento de um novo sistema informatizado mais ágil e simples, que irá substituir a versão atual do Sispafra, além de melhoria da comunicação interna e externa para esclarecer à população quanto às exigências sanitárias e necessidade de obtenção do Certificado Internacional de Vacinação. O Gerente relembrou a iniciativa da Gestão da Anvisa, que organizou o Seminário virtual dia 20/02, na Intravisa, denominado Webinar, onde os servidores poderiam interagir online.

 

 

Parceria e integração entre ativos e aposentados

 

Na sala da Gerência de Gestão de Pessoas (GGPES), os membros do Devisa/Fenasps trataram com os servidores de diversos assuntos, sempre buscando a parceira e integração para melhor atender e satisfazer as necessidades dos servidores ativos e aposentados. Na ocasião, foram esclarecidos temas como entrega de crachás para os aposentados e outras demandas específicas.

 

No dia 20 de fevereiro, devido a Intervenção Federal do Estado do Rio de Janeiro, o debate na Câmara de Deputados, sobre a reforma da previdência não ocorreu. O Fórum de entidades dos SPFs chamou uma reunião extraordinária e encaminhou um ato de protesto representando simbolicamente o enterro da PEC 287/16 no rol do Anexo II da Câmara dos Deputados. 

 

Os membros do Devisa retomaram o plantão na Fenasps no dia 21 de fevereiro, redigiram relatório das atividades e retornaram na sede da  Anvisa, para a retirada de crachás de aposentados de SC e RS e tratar de demandas de interesse dos servidores de PAFs, junto às Gerências respectivas. Ficou pendente a confirmação se haverá nova contratação de empresa gerenciadora do Siref (Sistema de Registro Eletrônico de Frequência), pois sequer a revisão da Portaria que regulamenta esse sistema pode ser publicada devido a problema técnicos e operacionais reconhecidos e comprovados pela gestão da Anvisa. Também foi mantido contato com dirigentes de outras entidades nacionais, como Sinagências e CNTSS, para retomar as discussões junto com a Fenasps do Acordo de negociação de 2015 e novas pautas comuns e de interesse dos trabalhadores das agências reguladoras, com destaque para a Anvisa. 

 

 

Dificuldades de toda ordem em Congonhas

 

Um dos membros do Devisa, deslocou-se, pela manhã, para reunião com os servidores do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, que enfrentam sérias dificuldades de toda ordem para atendimento aos viajantes e ao público em geral. Antes do retorno dos representantes do Devisa aos seus estados, receberam da Gerência Geral de PAFs, resposta ao ofício que solicitou audiência e Mesa de Negociação entre as entidades representativas dos servidores e a gestão da Anvisa. A data definida foi 8 de março, às 14h30min.

 

Devido às diversas atividades estabelecidas pelo calendário da Fenasps, com realização de encontros setoriais e plenária nacional no início de março, os membros do Devisa providenciarão convocatórias para seus membros, salientando a importância de participação e definição de estratégias para a categoria, compondo com as demais ações da federação. Entre os dias 27/02 e 02/03, acontecerá a Iª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde, que deverá contar com a participação de representação da Fenasps.

 

Fonte: Devisa/Fenasps